Adesivo Contracetivo

1O que é?

O adesivo contracetivo é um adesivo pequeno e fino, que se coloca sobre a sua pele e que liberta duas hormonas, um estrogénio e um progestativo.

Com a utilização típica (que inclui a utilização inconsistente ou incorreta) do adesivo contracetivo, 9 em cada 100 mulheres tiveram uma gravidez indesejada durante o primeiro ano. Com a utilização ideal (de acordo com as instruções de utilização) do adesivo contracetivo, 0,3 em cada 100 mulheres tiveram uma gravidez indesejada durante o primeiro ano.

2Como se utiliza?

Deve ser aplicado em pele limpa, seca, sem pelos, saudável e intacta, na nádega, no abdómen, na região externa do braço ou na parte superior do tronco, num local onde não seja friccionado por roupa apertada. Não se deve aplicar sobre a mama nem sobre pele que esteja avermelhada, irritada ou cortada.

Coloque o adesivo no primeiro dia da menstruação. Um único sistema transdérmico é aplicado e usado durante uma semana completa (7 dias). O dia em que é aplicado o primeiro sistema transdérmico (Dia 1/Dia de iniciação) determina os dias de mudança subsequentes. O Dia de Mudança do sistema transdérmico será no mesmo dia de todas as semanas (Dias 8, 15, 22 do ciclo e Dia 1 do ciclo seguinte). Nos dias de mudança do adesivo, isto é, no Dia 8 e no Dia 15, retire o adesivo e aplique um novo de imediato. O período de utilização do adesivo perfaz um total de três semanas. Na quarta semana não há aplicação do sistema transdérmico (Dia 22 a Dia 1 do ciclo seguinte). Durante este intervalo irá ter uma hemorragia parecida com a sua menstruação – a hemorragia de privação. Independentemente de ter parado ou não a hemorragia de privação, deverá colocar um novo adesivo no Dia 1 do novo ciclo.

Se a terapêutica do ciclo 1 tiver início após o primeiro dia do ciclo menstrual, deverá utilizar-se um contracetivo não hormonal, concomitantemente, durante os 7 primeiros dias consecutivos do primeiro ciclo de tratamento, apenas.

3Será este o método adequado para si?

Pode interessar-lhe se:

  • Preferir não ter de pensar no método contracetivo todos os dias.
  • Pretender usar um método contracetivo imediatamente após um aborto, espontâneo ou não.
  • Pretender um método que não interfira com as suas relações sexuais.
  • Preferir um método que não seja afetado em caso de vómitos e/ou diarreia, nem com o uso concomitante de antibióticos comuns.

Tenha cuidado:

  • Se estiver a tomar outros medicamentos.
  • Caso tenha alguma cardiopatia.
  • Se estiver a amamentar.
  • Se for fumadora e tiver mais de 35 anos.
  • Se tiver excesso de peso
  • Não fica protegida contra infeções sexualmente transmissíveis (IST), incluindo VIH/SIDA.

Referências:

  • Trussell J. Contraceptive failure in the United States. Contraception. 2011 May 1;83(5):397-404.
  • Folheto Informativo sistema transdémico de etinilestradiol e norelgestromina®. 2012. Disponível em https://www.ema.europa.eu/en/documents/product-information/evra-epar-product-information_pt.pdf (acedido a 19/05/2021).
  • Sociedade Portuguesa da Contraceção (SPDC), Sociedade Portuguesa de Ginecologia (SPG) e Sociedade Portuguesa de Medicina na Reprodução (SPMR). Consenso Sobre Contraceção 2020. 2020.

PT-NON-110051 07/2021