Esterilização masculina

1O que é?

A esterilização masculina, ou vasectomia, é um método contracetivo permanente e que implica um procedimento cirúrgico simples. Para levar a cabo a esterilização masculina, o médico corta e sela ou laqueia os canais deferentes.

Com a esterilização masculina, 0,10 em cada 100 mulheres apresentam uma gravidez não desejada durante o primeiro ano.

2Como se utiliza?

Na esterilização masculina os canais deferentes são fechados, impedindo que os espermatozóides avancem e façam parte do sémen. O sémen é ejaculado, mas por não conter espermatozoides, não pode causar uma gravidez.

Para atingir os canais, o médico realiza uma pequena punção ou uma pequena incisão na pele do escroto. De seguida, corta ou bloqueia os canais deferentes. Este procedimento realiza-se sob anestesia local.

Não provoca disfunção sexual nem afeta o desejo sexual.

3Será este o método adequado para si?

Pode interessar-lhe se:

  • Desejar um método contracetivo permanente. 
  • Desejar um método eficaz e seguro sem necessidade de supervisão médica.
  • Sofrer de anemia das células falciformes.
  • Pretender um método que não interfira com as relações sexuais.

Tenha cuidado:

  • Pode ter dores após o procedimento – estas deverão desaparecer ao fim de 2 a 3 dias.
  • Se tiver relações sexuais não protegidas nos primeiros três meses após a intervenção, já que é o tempo necessário para que a esterilização seja eficaz, de acordo com o método utilizado, incorre o risco de uma gravidez não planeada. Neste período, deverá usar um método contracetivo adicional.
  • Os canais deferentes que transportam os espermatozoides podem voltar a unir-se após a esterilização, tanto imediatamente após o procedimento como passados uns anos.
  • Não a protege contra infeções sexualmente transmissíveis (IST), inclusive contra o VIH/SIDA.

Referências:

  • The Society of Obstetricians and Gynaecologists of Canada. Contraception Booklet. Disponível em https://www.sexandu.ca/wp-content/uploads/2016/09/Contraception_Methods_Booklet.pdf (acedido a 20/05/2021).
  • Trussell J. Contraceptive failure in the United States. Contraception. 2011 May 1;83(5):397-404.
  • World Health Organization Department of Reproductive Health and Research (WHO/RHR) and Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health/Center for Communication Programs (CCP), Knowledge for Health Project. Family Planning: A Global Handbook for Providers (2018 update). Baltimore and Geneva: CCP and WHO, 2018.
  • The Family Planning Association (FPA). Your Guide to Male and Female Sterilisation. 2018. Disponível em Your Guide to Male and Female Sterilisation – FPA (acedido a 20/05/2021)

PT-NON-110059 07/2021